AGE da PBH discute os pontos pendentes da pauta. Nova assembleia é marcada para dia 4 de setembro

 Os médicos da PBH realizaram no dia 8 de agosto a oitava assembleia geral extraordinária da campanha 2012. Contemplados, embora parcialmente, no ano passado com um reajuste de 20% escalonado em dois anos, os médicos colocaram como prioridade da pauta de reivindicações de 2012 a melhoria das condições de trabalho.

 Para sensibilizar os gestores, sindicato e médicos atacaram em várias frentes. A campanha de 2012 teve seu ápice no dia 14 de junho com um grande ato público de protesto em frente à Prefeitura. Uma nova assembleia foi marcada para o dia 4 de setembro, quando além da pauta específica de reivindicações os médicos debaterão sobre as expectativas para as próximas eleições municipais.

 Durante a assembleia, o diretor Andre Christiano dos Santos relembrou os principais momentos da campanha e conquistas obtidas pela categoria. Segundo ele, uma das ações do Sinmed-MG para pressionar a Prefeitura a atender a principal pauta da categoria – a nomeação imediata dos médicos aprovados no concurso público realizado em dezembro/2011 - , foi uma denúncia ao Ministério Público de Minas Gerais sobre o assunto. Poucos dias depois, em 26 de junho, o MP determinou um prazo de 15 dias para que a PBH e a Secretaria Municipal de Saúde apresentassem a cópia dos atos de nomeação de todos os candidatos aprovados. Pressionada, a Prefeitura deixou de lado as desculpas apresentadas até então, nas reuniões com o sindicato, e publicou, três dias depois, a nomeação de 492 médicos no Diário Oficial do Município. Até então, apenas 85 médicos haviam sido nomeados, em 5 de junho.

 O “pacote“ da prefeitura ainda continua pouco atraente para a categoria: dos 85 médicos nomeados em junho, apenas 38 tomaram posse, sendo que 17 já atuavam nos centros de saúde como contratados. Dos outros 492, apenas 50% haviam procurado a Prefeitura para decidir sobre o local de trabalho. Segundo a Prefeitura, os médicos concursados continuarão a ser chamados até que as vagas sejam preenchidas.

 Outros assuntos da pauta continuam em ritmo de espera. Em reunião realizada com Marcelo Gouvêa, dia 3 de agosto, o secretário municipal de saúde informou das dificuldades em solucionar o problema da lentidão dos computadores, hoje com capacidade de 128 k, mas assegurou que as providências estão sendo tomadas. Uma carta foi enviada ao sindicato detalhando todas as ações para a melhoria do sistema de informática, entre elas, uma rede de fibras ópticas, o que seria uma solução definitiva, mas demorada. Na mesma carta, lida para os médicos durante a última assembleia, o secretário também coloca em detalhes a questão da falta de medicamentos e as providências já tomadas para resolver a questão. “O documento, de várias páginas, é um compromisso assumido pela Prefeitura”, disse o diretor André Christiano dos Santos.

 

Comissão discute acolhimento na atenção básica

 A comissão formada por representantes da saúde entre eles o Sinmed-MG, a Sociedade Mineira de Medicina de Família e Comunidade  e gestores, para discutir o Protocolo de Manchester na Atenção Básica continua se reunindo semanalmente. A iniciativa é resultado de uma grande pressão dos médicos, que relatavam inúmeros problemas nas unidades onde o Protocolo foi implantado. A primeira reunião aconteceu no dia 15 de junho. A implantação do Manchester em outras unidades foi suspensa.

 O diretor André Christiano dos Santos, representante do sindicato nas reuniões da comissão, explica que os encontros, a principio para avaliação do Protocolo de Manchester, acabaram se transformando em uma discussão mais ampla sobre o processo de organização de atendimento à demanda espontânea nos postos de saúde: “Já ficou claro que houve um erro da gestão ao organizar todo o processo de trabalho e atendimento à demanda espontânea em função de uma ferramenta que era o Manchester”, avalia.

André informou que os trabalhos deverão ser concluídos em setembro e considerou os encontros bastante positivos, na busca de soluções para encontrar a melhor forma de triagem dos pacientes nas unidades, incluindo os agudos.

 

Regina Perillo