Operação Gota garante vacinação em áreas remotas

Ação, feita em parceria entre governo federal, estados e municípios, vai imunizar pessoas em regiões de difícil acesso. Equipes vão de barco, avião ou helicóptero

Começou no estado do Amazonas a Operação Gota – parceria entre os ministérios da Saúde e da Defesa, estados e municípios – para garantir o envio de vacinas para áreas de difícil acesso, onde só é possível a chegada de avião, helicóptero ou barco. Este ano, além de assegurar o acesso a vacinas contra diversas doenças para a população, a missão também tem como objetivos fazer a supervisão e o acompanhamento da campanha de vacinação de rubéola, que ocorre simultaneamente em todo país.

Os técnicos que participam da Operação Gota também avaliam e orientam o trabalho dos agentes de saúde que atendem a população. Duas equipes foram organizadas pela secretaria estadual de saúde do Amazonas – uma que utiliza um avião da Aeronáutica e outra que viaja de barco.

A missão aérea visita os municípios de Tabatinga, São Paulo de Olivança e Santo Antônio fronteira e quatro pelotões do exército. A equipe, que está se deslocando de barco, atenderá aos municípios de Benjamin Constant, Atalaia do Norte, Amaturá e Tonantins. Todos os locais ficam no Alto Solimões, região de fronteira com Colômbia e Peru.   Estados   O trabalho iniciado pelo Amazonas também é feito nos estados do Pará, Acre e Mato Grosso do Sul. Em 2008, a Operação Gota, que atende as populações que moram em áreas de difícil acesso, contará com 12 aeronaves, disponíveis para missões até o mês de dezembro. Em agosto e setembro, durante a campanha contra rubéola, serão utilizados um avião e três helicópteros.   Cada equipe transportada nas aeronaves é formada por oito técnicos. Além das equipes, são enviados gelo, vacinas, seringas, material de expediente e alimentação. Em missões de grande porte, as aeronaves transportam geladeira, freezer, gerador e combustível. Em cada município, também são mobilizados técnicos que integram a missão. Até o fim do ano, a Operação Gota envolverá 320 técnicos.   Logística   A logística da missão é elaborada em conjunto pelos ministérios da Saúde e da Defesa em articulação com os estados e municípios assistidos pela Operação Gota. “Depois dessa etapa, o setor operacional da Força Aérea Brasileira (FAB) realiza os cálculos, verifica a disponibilidade de aeronaves, locais possíveis para abastecimento e pouso das aeronaves, número de equipes e peso a ser transportado, entre outros aspectos” conta a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Marília Bulhões. Ela acrescenta que “os estados identificam as necessidades locais, garantem recursos humanos e financeiros, vacinas, medicamentos, cartões de vacina e material de divulgação”.   Prioridade   Em 2008, a Operação Gota e a vacinação nas áreas de fronteiras estão integradas à Campanha Nacional de Vacinação para a Eliminação da Rubéola no Brasil, que começou no dia 9 de agosto e vai até 12 de setembro. Em todo o país, a meta da campanha contra a rubéola é vacinar 70 milhões de pessoas, das quais, 35,3 mulheres e 34,7 homens. Serão vacinados homens e mulheres entre 20 e 39 anos. Nos estados do Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte a faixa etária vai dos 12 aos 39 anos.    Fonte: Ministério da Saúde – 26/08/2008