País precisa melhorar orçamento e gestão da Saúde

 

O Brasil é um dos países que menos investe em saúde na América Latina. É o que revela o estudo Saúde no Brasil e na América Latina, da Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo. Apesar de possuir uma carga tributária que se aproxima de 40% do Produto Interno Bruto, de toda a arrecadação de impostos o país investe menos de 10% no setor. Mas a falta de verba não é o único problema.      Segundo o professor de clinica médica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Denizar Viana, o país precisa melhorar na administração dos recursos. "A gente vai ao hospital público hoje vê uma série de desperdícios, de ineficiências que acabam fazendo com que esse recurso que já é escasso seja mal utilizado".       Para o conselheiro do Conselho Federal de Medicina, Geraldo Guedes, é preciso investir na formação dos gestores no setor público. Mas ele lembra da importância de aumentar os recursos para a saúde no país:"com o pouco recurso que se investe num modele que a atenção tem que ser integral, isso que o poder público investe é muito pouco frente a necessidade. Por isso que o SUS fica com filas, incapacidade de dar assistência na chamada média complexidade".       O Congresso Nacional deve votar neste ano a regulamentação da Emenda 29, que fixa em 10% o percentual a ser destinado anualmente para a saúde pela União. O Congresso também pode votar o projeto que cria a Contribuição Social para Saúde, que descontaria da população uma alíquota de 0,10% da movimentação financeira.   Fonte: Portal Médico - 27/01/2009