Comissão Pró-SUS analisa os três eixos de defesa do movimento médico

 

A Comissão Pró-SUS, Remuneração e Trabalho Médico formada por dirigentes da Conselho Federal de Medicina (CFM), Federação Nacional dos Médicos (FENAM) e Associação Médica Brasileira (AMB), se reuniu em Brasília para discutir o programa organizacional dos movimentos em favor do SUS e para avaliar os três eixos de defesa do movimento médico: CBHMP no Sistema Único da Saúde, Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) e salário mínimo profissional do médico. A reunião aconteceu nesta quinta-feira (05/02), na sede do CFM.      No plano da Comissão, está a estratégia de organizar o 3º Fórum Nordeste, previsto para o dia 06 de março, e agilizar a promoção de outros fóruns regionais. Entre eles, o Fórum Norte/Centro-Oeste e o Fórum Sul previstos para abril deste ano. De acordo com o coordenador da Comissão Pró-SUS, Geraldo Guedes, o Fórum Nordeste "deu uma força e serviu de exemplo para incentivar outros estados".      O Fórum Sudeste também está planejado, mas antes a Comissão quer realizar um movimento em São Paulo pela implantação da CBHPM no SUS e por isso a Comissão convidou João Ladislau Rosa, do Conselho Regional de Medicina paulista, para participar da reunião. "Nós convidamos os representantes de São Paulo porque achamos que é de suma importância que um estado como São Paulo, que concentra 2/3 dos médicos do Brasil, entre nesse movimento de luta pela implantação da CBHPM no SUS; não só pelo peso político, mas pela necessidade dos médicos de lá melhorarem sua remuneração no SUS," disse o representante da FENAM na Comissão, Márcio Bichara.      Uma reunião será agendada para o próximo mês entre integrantes da Comissão Estadual e da Comissão Pró-SUS para planejar um movimento.      Quanto ao PCCS, as três entidades e a Fundação Getúlio Vargas (FGV) já elaboraram o Plano, mas os valores ainda não foram divulgados. "Esse plano já está pronto e dentro dos próximos meses estaremos divulgando," afirmou o dirigente da FENAM, Márcio Bichara.      Outra pauta da reunião foi em relação ao salário mínimo profissional do médico. Os integrantes da Comissão estão otimistas quanto ao Projeto de Lei 3734/2008, do deputado Ribamar Alves (PSB-MA), que define o salário mínimo profissional do médico em R$ 7 mil por 20h/semanais. Recentemente, o relator do projeto, o deputado Mauro Nazif (PSB/RO), fez alterações no índice de reajuste, que agora será calculado pelo INPC, considerado constitucional pelo Governo e favorecendo os trâmites do projeto. A intenção dos conselheiros é agendar uma reunião com o relator e mobilizar as entidades para que o movimento médico se faça presente no momento da leitura do projeto na Câmara dos Deputados.           Fonte: Portal Médico – 9/02/2009