Ministro da Saúde quer discutir situação do médico no Brasil com os dirigentes das entidades nacionais

 

O ministro da Saúde quer discutir com os dirigentes das entidades médicas nacionais a situação do médico no Brasil. Depois de apresentar um painel sobre a experiência do Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro no 12º Congresso Mundial de Saúde Pública, que acontece em Istambul, na Turquia, José Gomes Temporão procurou os representantes da Federação Nacional dos Médicos (Fenam) no evento e manifestou o interesse de marcar audiência com as diretorias desta entidade, da Associação Médica Brasileira e do Conselho Federal de Medicina.   O vice-presidente da Fenam, José Erivalder Guimarães de Oliveira, que participou da reunião informal com José Gomes Temporão e com o secretário executivo do Ministério da Saúde, Francisco Campos, disse que a audiência dará ênfase à questão da dificuldade de fixação de médicos em cidades do interior, em regiões de difícil acesso e em locais que apresentem situação de violência, um dos problemas mais graves do setor de saúde no Brasil e que é abordado como prioridade no Plano de Carreiras, Cargos e Vencimentos – PCCV, que a FENAM lançará no dia três de junho. Os principais pontos do PCCV, segundo José Erivalder, serão apresentados ao ministro na audiência.   José Erivalder informou também que no encontro com o ministro a Federação pretende, ainda, reivindicar a implantação da carreira de Estado para os médicos. Ouça o que ele falou sobre esse assunto à jornalista Denise Teixeira.   "O Congresso de Saúde Pública na Turquia está sendo um momento importantíssimo para legitimar a FENAM com interlocutora privilegiada dos médicos. Prova disso é que o ministro da Saúde e o secretário executivo do Ministério, Francisco Campos, nos procuraram para marcar uma conversa sobre a situação do médico no nosso país. Campos disse que o governo reconhece que o médico é peça fundamental para a saúde, que sem esse profissional não se faz saúde pública no Brasil. O governo ficou impressionado com a nossa participação", destacou José Erivalder, acrescentando que nesta quarta-feira (29/04), por exemplo, o diretor do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul e presidente da Federação Médica Sul Brasileira, Sami El Jundi, apresentou poster no congresso com o tema "A influência das entidades médicas na estratégia de saúde pública", discutindo a questão do consumo de álcool e mostrando a experiência do sindicato em uma campanha de combate ao uso dessa droga. "Vejam a importância da nossa presença na Turquia", finalizou o vice-presidente da FENAM.   Fonte: Portal Fenam – 30/04/2009