Sem médico bem remunerado e trabalhando em segurança não há como fazer reforma na saúde, diz ministro

 

Sem médico bem remunerado e trabalhando em condições de segurança não há como fazer reforma no setor de saúde. Quem afirma é o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, que garantiu ainda estar empenhado na luta para que os médicos tenham assento definitivo no Conselho Nacional de Saúde. "É um absurdo que os médicos não tenham representação no Conselho e essa é uma das propostas que estou querendo levar pra frente", disse Temporão. A afirmação foi feita durante conversa com o médico Marco Antonio Torres, do Conselho Diretor do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais, no XII Congresso Mundial de Saúde Pública, em Istambul, na Turquia, que contou com a participação de uma delegação da FENAM.   De acordo com José Gomes Temporão, o ministério está analisando duas medidas no sentido de fixar o médico em cidades onde esses profissionais ainda não atuam. Uma das possibilidades, segundo o ministro, é a de que os médicos que tiveram seus estudos na faculdade financiados pelo governo, através do FIES, possam abater 1% de sua dívida a cada mês trabalhado em municípios que o ministério indicaria. Outra medida que pode ser adotada é a contratação direta de médicos, pelo Ministério da Saúde, para atuar nos 500 municípios que hoje não contam com esses profissionais.  
Fonte: Fenam – 04/05/2009