Nota das entidades médicas AMMG, SOGIMIG, CRMMG e SINMED-MG sobre a alteração do termo “violência obstétrica”