7 de abril- Dia Mundial da Saúde



No dia 7 de abril é comemorado o “Dia Mundial da Saúde”; uma data que nos remete aos cuidados com a saúde e com o bem-estar. Mas também nos traz uma reflexão: o sistema de saúde é eficaz para nos proporcionar qualidade de vida?

Enquanto entidade representativa dos médicos à frente de ações que visem melhorar a saúde para a população e os profissionais, o Sindicato dos Médicos de Minas Gerais destaca que o setor saúde é um dos grandes desafios a ser enfrentado por todos. Nossa área é uma das mais deficitárias e a qual requer ações efetivas por parte dos gestores.

O SUS mesmo sendo um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo está ameaçado pela falta de investimento que inviabiliza o atendimento a 200 milhões de pessoas que utilizam o sistema, 80% delas dependentes exclusivamente do sistema para qualquer atendimento médico (dados do MS).

O grande desafio é financiar e gerir o sistema com um orçamento apertado que em 2019 é de R$ 132,8 bilhões (em 2018, foram autorizados R$ 130 bilhões, dos quais apenas R$ 108 bilhões acabaram efetivamente executados) para executar melhorias nos hospitais e oferecer um serviço de qualidade.

E o cenário ruim não é atual. Nos últimos oito anos, tivemos 34 mil leitos fechados no país. Do orçamento da saúde, que já não é suficiente, deixaram de ser utilizados R$ 174 bilhões [desde 2003]. É mais que o orçamento de um ano.

 Aqui, em Minas Gerais, a situação é cada vez mais crítica: dívidas acumuladas com os municípios e falta de repasse estão levando as prefeituras a um colapso na saúde. Atualmente, são R$ 13,3 bilhões referente aos repasses constitucionais. O débito de R$6,3 bilhões, relativos aos convênios nas áreas de saúde e outros também é contabilizado.

Além disso, os salários continuam sendo parcelados e o 13º de 2018 também, o que desestimula muitos servidores a exercerem suas funções no estado.

O Sinmed-MG, mesmo diante do caos, tem lutado diariamente para garantir os direitos dos médicos e a qualidade na saúde para a população. São ações judiciais, reuniões com gestores, assembleias com a categoria, paralisações e greve do HPS João XXIII como forma de pedir socorro para o setor que está à beira da falência.

Diante destes e muitos outros apontamentos que são rotineiros e conhecidos por toda a sociedade, há uma pergunta ainda sem resposta: o que comemorar na saúde?

O Sindicato dos Médicos dedica esta data para uma nova reflexão com o objetivo de despertar nas gestões a importância de mudar este cenário e valorizar a saúde. Se não existe uma estrutura de qualidade, como fazer com que a população cuide de sua saúde física? Se os médicos e demais profissionais não têm condições adequadas para trabalhar, como oferecer aos pacientes um atendimento mais qualificado?

 

 Sinmed-MG, 7 de abril de 2019

Na busca de respostas para estas indagações é que o Sinmed-MG vai continuar na luta e na defesa da Saúde, como uma prioridade para a população. Não queremos uma saúde na UTI e uma comemoração simbólica; queremos verdadeiramente comemorar cifras de evolução neste setor que está tão carente de recursos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rosângela Fernandes Costa - jornalista sênior - MTB 11320/MG