Palestra no Sinmed-MG, em 13 de março, esclarece médicos sobre Imposto de Renda e Livro-Caixa

Com o objetivo de orientar os médicos sobre a questão do imposto de renda e livro-caixa, o Sinmed-MG promoveu, dia 13 de março, importante palestra em sua sede na Av. do Contorno – 4.999. O tema foi exposto por Viviane Barbosa, sócia administradora da TGL Contábil, empresa parceira do sindicato especializada no atendimento a profissionais da área de saúde.

O diretor de Campanhas, Artur Oliveira Mendes, fez a abertura do evento, explicando que a realização de palestras de interesse da categoria fazem parte do rol de serviços oferecidos pelo sindicato.

Viviane Barbosa focou sua exposição em alguns pontos de atenção para que os médicos tenham uma declaração a mais justa possível e com menos riscos. São eles:

• Rigor cada vez maior no cruzamento de informações: “Desde 2015 a Receita Federal passou a obrigar as instituições financeiras a informarem mensalmente toda a movimentação do contribuinte, seja em conta corrente, cartão de crédito, seguradoras, repasse de pessoa jurídica para pessoa física e vice-versa. O cruzamento é automático”.

 • Principais mudanças promovidas pela Receita em relação ao ano passado: apresentação de CPF – para dependentes de qualquer idade e não mais a partir de 8 anos; apresentação do CNPJ da Instituição financeira em que o médico tenha uma conta corrente ou aplicação; aumento do limite da contribuição patronal do doméstico de R$1.071 para R$1.200.

 • Desde o ano passado o declarante é obrigado a informar, por meio de formulário eletrônico disponível na página da Receita, qualquer transação em espécie acima de 30 mil reais - Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie (DME).

 • O Banco Central exige que as transações financeiras e compra de bens no exterior a partir de 100 mil dólares - A declaração de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE), sejam informadas ao órgão, por meio de acesso no site do próprio banco.

 • Acesso a redes sociais: redes sociais estão sendo utilizadas cadaa vez mais como ferramenta de fiscalização. Visitação a site de empresas, ligações para funcionários são outros recursos empregados.

 • Questão da malha: atualmente, no dia seguinte à entrega a receita, o contribuinte já pode saber se ficou alguma pendência e corrigir antes de cair na “malha”. O motivo mais comum de malha é a divergência em relação a fontes pagadoras.

 

Importância do planejamento tributário

 Dando continuidade à palestra, Viviane explicou como funciona a base de cálculo para restituição ou pagamento de mais imposto:
“Somada toda a receita tributável, é identificada a alíquota real. Reduzidas as despesas chega-se nesse cálculo”.

 Explicou que o grande segredo para um imposto de renda justo é fazer um planejamento tributário para reduzir a base de cálculo: “ Em se tratando de deduções o ponto principal é organizar as despesas e receitas durante o ano pensando na redução da carga tributária. Aqui podem ser consideradas as despesas pessoais dedutíveis e as despesas profissionais que é o famoso livro-caixa”.

 Em seguida, a palestrante explicou em detalhes o que pode ser colocado no livro-caixa – e a importância de fazer isso mensalmente – e o que é deduzível ou não no caso dos médicos.

 E, fez um último alerta: “Sonegar é crime e pode trazer vários problemas ao contribuinte, por isso orientamos a procurarem uma orientação especializada, serviço que é prestado pelo Sinmed-MG, por meio de parceria com a TGL Contábil.

 

Para finalizar, Viviane enumerou situações que devem ser evitadas:

1- Deixar para pensar a declaração somente no momento do ajuste;

2- Não colocar em pratica as ações necessárias para redução da carga tributária;

3- Não buscar orientação;

4- Optar indevidamente pela sonegação e não pelas deduções legais;

5- Não procurar por orientação especializada, para se resguardar , minimizar ao máximo nosso risco.

 

Sinmed-MG, 14 de março de 2018.

 

Regina Perillo