Sinmed-MG marca presença no Simpósio: “Saúde Mental e Suicídio entre Médicos e Estudantes: Desafios e Possibilidades”

O diretor presidente do Sinmed-MG, Fernando Mendonça, foi um dos convidados para a mesa de abertura do simpósio “Saúde Mental e Suicídio entre Médicos e Estudantes: Desafios e Possibilidades”, no Salão Nobre da Faculdade de Medicina da UFMG. O evento, que foi realizado entre os dias 12 e 13 de setembro, teve a programação direcionada aos estudantes e profissionais de Medicina e Psicologia. O Simpósio é uma ação de extensão do Departamento de Saúde Mental (SAM) com apoio da Diretoria da Faculdade de Medicina da UFMG e parceria com a Associação Mineira de Psiquiatria, que faz parte da programação do Setembro Amarelo – Mês de Prevenção do Suicídio, uma campanha da Associação Brasileira de Psiquiatria.

 A mesa de abertura do evento teve à frente a vice-diretora da Faculdade de Medicina da UFMG, Alamanda Kfoury Pereira, e como convidados, além de Fernando Mendonça, o conselheiro do CRMMG, Victor Hugo de Melo; o diretor de Assuntos do Interior da AMMG, Paulo Roberto Resold; o presidente da Academia Mineira de Medicina, José Raimundo da Silva Lippi; o representante da Associação Brasileira de Educação Médica, Sérgio Baldassi e o presidente da Associação Mineira de Psiquiatria, Humberto Correia da Silva Filho.

 Na ocasião, a vice-diretora da Faculdade de Medicina da UFMG, Alamanda Kfoury Pereira, cumprimentou todos os integrantes da mesa e saudou todos os presentes. Disse que a saúde mental está comprometida. E ressaltou que a situação contemporânea é multifatorial e sistêmica e que requer de todos nós uma política de enfrentamento, pois estamos vivendo uma situação alarmante, que acomete especialmente os jovens de todos os âmbitos da sociedade.

 “É uma situação que não escolhe gênero ou classe social e atinge a todos. E como instituição de ensino, a UFMG está se comprometendo a esse enfrentamento”, frisou Alamanda.

 Na sequência, o diretor presidente do sindicato, Fernando Mendonça, parabenizou os organizadores do evento, cumprimentou a todos e destacou que é o simpósio é uma grande oportunidade para discutir as melhores propostas para avançar para o enfrentamento do tema. O presidente do Sinmed-MG ressaltou que, atualmente, temos mais de cinco mil alunos no primeiro ano do curso de Medicina. “Logo, teremos cada vez mais médicos vivendo em condições de pressões e estresse e com salários inadequados. Por isso, nós, como entidades médicas, temos o dever de discutir o assunto e buscar alternativas sobre o tema”, destacou Mendonça.

 

Rica programação do simpósio

 A programação do evento incluiu o lançamento do Núcleo de Apoio Psiquiátrico e Psicopedagógico ao Residentes do Hospital das Clínicas da UFMG (Nappre-HC), com a participação do professor do SAM e coordenador do Serviço de Psiquiatria do HC, Bernardo Viana.

Também foram discutidas as experiências do Núcleo de Apoio Psicopedagógico aos Estudantes da Faculdade (Napem); do projeto de extensão V.I.D.A.S, coordenado pelo professor e chefe do SAM Humberto Côrrea; do Grupo de Apoio a Enlutados da Faculdade de Medicina da UFMG (Gaes); do Núcleo de Apoio da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais e de um serviço de Assistência em Saúde Mental para Médicos Residentes da Unifesp. Além disso, ocorreram a apresentação de pesquisas, debates em mesas-redondas e palestras sobre saúde mental e suicídio.

 

Sinmed-MG, 13 de setembro de 2018.

 

 

Graciele Pessoa