MÉDICOS E ENTIDADES FALAM SOBRE O PAPEL DO SINDICATO DURANTE FESTA DE CONFRATENIZAÇÃO

Durante o evento de lançamento do novo portfólio de serviços e confraternização da categoria, dia 15 de dezembro, conversamos com alguns dos convidados para falar sobre a importância do sindicato no cenário atual. Vejam os depoimentos:

 

Eudes Arantes Magalhães – presidente da Federação Nacional das Cooperativas Médicas (Fencom): “Estamos vivendo um momento de muitas mudanças no país e essa mudança é ainda mais intensa na Medicina. Uma série de medidas equivocadas do governo nos últimos anos trouxeram para a Medicina um desarranjo que vai demandar um bom tempo para que possamos corrigir. Sem sombra de dúvida, precisamos que todas as entidades médicas se mantenham atuantes e unidas no trabalho de correção desses equívocos. O papel do Sinmed-MG sempre foi central na organização do movimento médico. Não tenho dúvida que o sindicato vai resistir, vai continuar seu trajeto. As nossas entidades já se comprometeram e continuam a comprometer-se com o Sinmed-MG no sentido de que mantenhamos nossa parceria e possamos contribuir para que a entidade continue seu trabalho tão importante para a classe médica”.

 

Antônio Carlos Cioffi – diretor da Fencom: “Neste momento conturbado em que vivemos um desgaste em relação ao profissional médico, em todos os níveis, acho que o sindicato tem essa propriedade de agrupar na busca da defesa do profissional médico. Aqui em Belo Horizonte, em Minas Gerais, as instituições trabalham juntas. Isso é bem característico e tem que ser difundido para o restante do país. O sindicato defendendo a atividade profissional, as entidades médicas, as cooperativas de crédito, a Unimed, precisamos todos estar unidos e trabalharmos em conjunto.

 

Fábio Augusto de Castro Guerra, presidente do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRMMG) – “As novas condições que estão sendo colocadas, principalmente para os sindicatos, precisam ser vistas como uma oportunidade de mudança e nunca como uma possibilidade de redução da atividade. Essa mudança é importante para que o sindicato busque sua sustentabilidade, além de abrir um leque de novos serviços para os médicos. Eu sempre falo: cada entidade na sua competência, no seu trabalho, mas que de uma forma complementar vão formar um todo na busca da defesa dos interesses da categoria médica e também da nossa população. Neste momento, não podemos abrir mão de nenhuma das nossas representações. É fundamental que trabalhemos unidos, um ajudando e reforçando o outro na sua área de atuação, e que os médicos entendam a importância da manutenção das entidades médicas ”.

 

João Batista Gomes Soares, conselheiro do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRMMG) – “O médico precisa compreender que nosso sindicato é importante, mas que para ele sobreviver precisa da nossa contribuição. Nós temos que fazer isso. Sem orçamento o sindicato não pode atuar. Estão tentando destruir a atividade sindical, mas não podemos deixar. Essa mudança deve motivar o médico a tornar o sindicato ainda mais forte”.

 

Maria do Carmo Barros de Melo, presidente da Sociedade Mineira de Pediatria - “O sindicato, as entidades, as sociedades de especialidades são importantes para o fortalecimento da categoria. São elas que estão sempre do lado do colega médico, defendendo-o quando necessário ou evitando que os problemas aconteçam. É muito importante que todo médico se sindicalize, pague o sindicato. Os benefícios já existiam, mas agora, com esse novo portfólio, foram muito ampliados”.

 

Juraci Gonçalves de Oliveira, diretor de Defesa do Exercício Profissional da AMMG – “Tenho que dar os parabéns para o Sinmed-MG por estar se movimentando, se antecipando às novas mudanças que fatalmente irão acontecer com a nova legislação relacionada à contribuição sindical. O mundo está numa transformação muito grande. As relações trabalhistas, de emprego e empresariais estão todas passando por uma mudança muito grande. Não dá para as entidades ficarem realmente engessadas como vinha acontecendo. É cada vez mais necessário se reinventar. Considero as medidas tomadas pelo Sinmed-MG pertinentes à sua área de atuação, cabíveis e realizáveis”.

 

Garibalde Mortoza, presidente do Sicoob/Credicom - “O Sindicato dos Médicos tem um papel relevante na defesa do trabalho médico. Se não tivermos um sindicato atuante, que tenha liderança e que busque realmente melhores condições de trabalho e remuneração para o médico a classe médica terá sua situação ainda mais deteriorada. Sabemos do momento, da necessidade do sindicato se reinventar, e ele está fazendo isso. infelizmente, boa parte da categoria médica ainda não tem consciência da necessidade de um sindicato forte. O sindicato tem pela frente uma tarefa árdua de mostrar a esses médicos realmente o seu papel, o seu valor”.

 

Josemar de Almeida Moura, diretor do Sicoob Credicom – “Acho que esse momento, com a reforma trabalhista, representa uma grande oportunidade para o sindicato estar mais presente no dia a dia da vida do médico, através da oferta de serviços e produtos que possam realmente facilitar e melhorar a vida da categoria. Além de manter a linha de defesa profissional, a entidade precisa buscar outras formas de receitas para manter-se ativo, e o lançamento do novo portfólio mostra que está fazendo isso”.

 

Rogério Araújo, presidente da TGL Consultoria - “ A TGL Consultoria trabalha com os profissionais da área médica desde 1999, e, por isso, conhece muito bem a realidade do médico, principalmente do médico mineiro. Ao longo desses anos, fomos desenvolvendo produtos e serviços bem customizados para categoria. Sabemos que existe uma carência muito grande no mercado para atender esses profissionais, principalmente os do interior do estado. O propósito da nossa consultoria é proporcionar esse apoio ao médico, no sentido de ajudá-lo a se planejar financeiramente para o futuro, proteger a sua profissão, o patrimônio conquistado. Alguém que se preocupe com ele, com suas necessidades e objetivos específicos, e não o enxergue apenas como mais um cliente. Ficamos muito honrados quando fomos convidados pelo sindicato para poder dar o braço e levar esses benefícios ao médico”.

 

André Lorezon, delegado sindical do Sinmed-MG: “Acho que o Sinmed-MG tem um papel muito importante não só para os médicos do serviço público, mas também para os que trabalham na condição de profissional liberal e na saúde suplementar. Neste momento em que se questiona o pagamento da contribuição sindical, é importante fomentar o pagamento dessa contribuição. As entidades mais fortes são aquelas que têm uma gestão mais eficiente, mais produtiva, mais profícua e para isso são necessários recursos”.

 

Bernardo Soares Lacchini, presidente da Sociedade de Acadêmicos de Medicina de Minas Gerais (SAMMG) – “O sindicato cuida da defesa dos interesses da profissão, luta por uma melhor remuneração, condições de trabalho adequadas, a valorização da carreira. O acadêmico, daqui a alguns anos, vai estar lidando com esses problemas. Parabenizo o sindicato que criou este ano um plano de adesão diferenciado para os acadêmicos poderem se filiar sem custos e participar dessas discussões. As ações do sindicato, neste momento de reforma trabalhista e previdenciária, vão impactar diretamente no acadêmico quando ele entrar no mercado de trabalho”.

 

Reginaldo Teófanes Ferreira, presidente da Central dos Hospitais de Minas Gerais – “No Sindicato dos Hospitais a situação é a mesma vivida pelos outros sindicatos, só que nossos filiados são patronais. Com o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, também estamos buscando alternativas para sobreviver. Nesse contexto, acredito que o único caminho é juntarmos forças - entidades, hospitais, médicos, compradores de serviços, cooperativas. Cito como exemplo os pequenos hospitais que não conseguirão sobreviver sozinhos. Muitas coisas podem ser feitas em conjunto na parte operacional, como a contratação de advogados, jornalistas, contadores que atendam a todos. Já estamos trabalhando nesse sentido com a criação do que chamamos de um centro de serviços compartilhados”.

 

Cristiano de Bernardi, servidor nas Prefeituras de Betim e BH – “Sou associado há muitos anos e faço questão de estar presente nas confraternizações do Sinmed-MG. Acho o sindicato de grande importância para a categoria. No meu caso pessoal, o jurídico está me ajudando em um processo trabalho e este é um dos serviços que o médico encontra aqui. Pena que os colegas participem tão pouco, por falta de interesse ou até mesmo por excesso de trabalho, mas, apesar disso, o sindicato tem feito o seu papel”.