Sinmed-MG inicia negociações da campanha 2008 em Betim

17/01/2008

Diretores do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais – Sinmed-MG e médicos lotados na prefeitura de Betim participaram de reunião, no dia 16 de janeiro, com o secretário municipal de Saúde, Flávio Moreira Matos, e com o secretário adjunto da pasta, Rodolfo Paixão. Durante a conversa, o presidente do Sinmed-MG, Cristiano da Matta Machado, informou aos gestores que o sindicato foi procurado por profissionais do município que estão preocupados e apreensivos quanto às condições de trabalho e remuneração oferecidas pela Prefeitura.

Matta Machado explicou ao secretário que a situação é grave e requer soluções imediatas já que as equipes continuam incompletas mesmo após o concurso público realizado no ano passado. Segundo ele, além da falta de medicamentos e equipamentos essenciais para o exercício da medicina, problema enfrentado pelas unidades de saúde em geral, o sucateamento do Hospital Regional e a conseqüente perda de qualidade do serviço é preocupante.

“O Hospital Regional já foi referência para os municípios próximos, contava com o que havia de mais moderno para atendimentos de alta complexidade e hoje está sucateado. Há denúncias de mau uso dos equipamentos e a equipe médica, altamente capacitada, está se desintegrando devido à falta de condições de trabalho”, lamenta o presidente do Sinmed-MG.

O sindicato também solicitou ao secretário esclarecimentos sobre a denúncia de terceirização na contratação dos médicos do Programa de Saúde da Família pela ONG Missão Ramacrisna, caracterizando vínculo de trabalho precário. O gestor justificou dizendo que a Prefeitura optou em não realizar concurso para esses profissionais por temer que o Governo Federal, eventualmente, retire a verba de apoio destinada ao Programa e argumentou que sem esse recurso a gestão não terá como arcar com os salários dos médicos do PSF. O Sinmed-MG não concorda com essa explicação e o assunto voltará a ser discutido na próxima reunião.

Quanto aos investimentos, o secretário de Saúde disse que há uma verba disponível, mas não teve condições de informar os prazos nem os percentuais do possível reajuste que pretende oferecer à categoria.

Ao final do encontro, os gestores se comprometeram com o Sinmed-MG a estabelecer uma agenda permanente de negociações para conhecimento e análise da pauta que será elaborada na Assembléia Geral Extraordinária do dia 13 de fevereiro. A próxima reunião está marcada para o dia 20 de fevereiro, às 16h, na Secretaria de Saúde de Betim.


O Sindicato dos Médicos de Minas Gerais – Sinmed-MG convoca todos os médicos da rede pública de Betim para Assembléia Geral Extraordinária.

Data: 13 de fevereiro de 2008, quarta-feira.
Horário: 19h
Local: Sinmed-MG – Rua Padre Rolim, 120 – Santa Efigênia.
 Belo Horizonte – MG.
Pauta: Elaboração da pauta de reivindicações da Campanha 2008.

Compareça, sua participação é fundamental para o sucesso das negociações.
Sinmed-MG, mais forte com você.

 

Mobilização: caminho para as conquistas

A mobilização é, sem dúvida, a mais importante atitude para garantir as conquistas. Prova disso foram os avanços negociados entre o Sindicato dos Médicos de Minas Gerais e a Prefeitura de Belo Horizonte, e os passos alcançados em Contagem em 2007.

A agregação dos médicos junto ao sindicato, aliada a uma estratégia correta de condução das negociações, resultou, entre outras conquistas, em reajustes de 34% a 55,1% aos profissionais de Belo Horizonte, e 11% para os médicos de Contagem.

Na avaliação do presidente do Sinmed-MG, Cristiano da Matta Machado, a defasagem salarial é um problema comum a todos os municípios, mas não é o único. “Além da baixa remuneração, os profissionais são submetidos a condições de trabalho precárias que incluem equipes de plantão incompletas, falta de materiais e equipamentos essenciais, e falta de segurança nos locais de trabalho”, explica.

Segundo Matta Machado, dificilmente todos os problemas são resolvidos em uma única campanha, mas é fundamental que boa parte das reivindicações sejam alcançadas para renovar o ânimo dos profissionais e garantir sua permanência no serviço. “Além do reajuste, a categoria tem levantado como bandeiras fundamentais e imprescindíveis de luta como a melhoria das condições de trabalho e a criação ou aprimoramento do Plano de Carreira, Cargos e Vencimentos”.