Confirmado: Reajuste salarial de apenas 3% para médicos do Estado

23/01/2008

O Governo do Estado de Minas Gerais enviou à Assembléia Legislativa, no dia 20 de dezembro, o Projeto de Lei 1973/2007 que, entre outras providências, concede apenas 3% de reajuste para os médicos da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais – Fhemig e da Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas Gerais - Hemominas. Antes de ir à votação, o PL deve ser apreciado pelas Comissões de Constituição e Justiça, onde já se encontra desde o dia 28 de dezembro, Administração Pública e Fiscalização Financeira.

De acordo com apuração feita pelo Sindicato dos Médicos de Minas Gerais – Sinmed-MG, por se tratar de uma pauta de interesse do Executivo o Projeto de Lei deverá ser votado em primeiro turno na segunda semana de fevereiro, logo após o feriado de Carnaval. Caso isso aconteça, as chances de retomada das negociações são praticamente nulas.

O Sindicato dos Médicos de Minas Gerais - Sinmed-MG participou de todas as reuniões da Mesa de Negociação Estadual do SUS e desde o começo se posicionou contrário à proposta de 3% de reajuste, uma vez que encaminhou em setembro a pauta de reivindicações ao Secretário de Estado de Saúde e ao Governador. No documento, que os gestores se recusaram a discutir e a analisar conjuntamente com o sindicato, os médicos reivindicam o piso salarial de R$ 4.178,11 para a jornada de 24 horas semanais. Pelo Projeto de Lei 1973/2007 um médico da Fhemig com residência, já incluído os 3% de recomposição, terá o salário inicial de R$ 2.437,09, ou seja, uma remuneração muito aquém da almejada.

O Sinmed-MG convoca todos os médicos da SES, Fhemig e Hemominas para:

Assembléia Geral Extraordinária

Data: 30 de janeiro, quarta-feira
Horário: 19h
Local: Sede do Sinmed-MG – Rua Padre Rolim, 120 – Santa Efigênia
Pauta: - Discussão do PL 1973/2007 que concede reajuste aos médicos do Estado;
- Campanha Salarial.

 

Mobilização: único remédio para retomar as negociações

A mobilização é, sem dúvida, a mais importante atitude para garantir as conquistas. Prova disso foram os avanços negociados entre o Sindicato dos Médicos de Minas Gerais e a Prefeitura de Belo Horizonte em 2007. A agregação dos médicos junto ao sindicato, aliada a uma estratégia correta de condução das negociações, resultou, entre outras conquistas, em reajustes de 34% a 55,1% até o final deste ano. Isso quer dizer que um médico da PBH, com residência e em início de carreira, receberia R$ 3.283,00 por 24 horas semanais, enquanto um profissional da Fhemig em igual situação receberá, com a recomposição de 3%, R$ 2.437,09.

Ainda há um longo caminho a percorrer até que todos os problemas da saúde sejam resolvidos, mas é fato comprovado que a mobilização da categoria é o mais importante e eficaz instrumento de persuasão perante os gestores. Sua participação é fundamental para que as negociações da campanha do Estado sejam retomadas.

 

Estudo PL 1973/2007: Tabelas salariais do Estado

Proposta de reajuste para cargos de nível superior

 


Fhemig

Reajuste

-         Médico

 

3%

 

-         Analista de Gestão e Assistência à Saúde

 

 

 

3%

 

12 horas (Odontólogos)

20 horas

17,84%

30 horas

28,57%

40 horas

42,86%

-         Profissional de Enfermagem

      20 ou 30 horas

 

17,84%

Hemominas

 

-         Analista de Hematologia e Hemoterapia

            30 ou 40 horas

 

28,57%