Médicos da PBH iniciam campanha para reivindicar melhores condições de trabalho e salário

26/03/2009

Mônica Salomão

Com a conclusão da campanha 2007, negociada de forma escalonada até dezembro último, médicos da Prefeitura de Belo Horizonte realizaram assembléia geral extraordinária no dia 19 de março para deflagrar o movimento reivindicatório deste ano e definir pontos da pauta que será encaminhada aos gestores.

No documento, ainda em fase de elaboração, a categoria reivindica o salário mínimo profissional defendido pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam) no valor de R$ 8.239,24; cargo de 40 horas semanais para os médicos do Programa Saúde da Família (PSF), com reposicionamento automático para os profissionais que já trabalham na rede; extensão da concessão do vale-refeição e adicional de insalubridade para os médicos contratados; aumento do valor do vale-refeição; correção dos valores dos abonos de fixação e urgência seguindo os mesmos índices aplicados para o reajuste do salário base; exigência de que todas as regionais cumpram a decisão da Secretaria Municipal de Saúde de permitir aos médicos do PSF um dia livre para trabalhar em plantão, desde que as horas sejam repostas nos demais dias da semana; retomada das reuniões com a comissão constituída para discutir condições de trabalho (ponto negociado na campanha anterior); garantia da data-base no mês de maio; e garantia de que qualquer alteração, como a introdução de remuneração variável, seja amplamente discutida com o sindicato e com a categoria.
 
Também farão parte da pauta as reivindicações específicas do Núcleo de Cirurgia Ambulatorial, unidade anexa ao PAM Sagrada Família. Segundo relato dos médicos, a unidade não tem diretoria clínica e comissão de ética. Dessa forma, os profissionais pleiteiam a realização dessas eleições, e também o pagamento de adicionais de fixação e urgência.

Os pontos referentes às condições de trabalho serão definidos em reunião dos delegados sindicais com a diretoria do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG).

Delegados sindicais

Durante a AGE os médicos também elegeram delegados sindicais que vão representar o Sinmed-MG junto à categoria, as autoridades e a população de Belo Horizonte. São eles:

Hospital Odilon Behrens e Centro de Saúde Noraldino de Lima

Eduardo Vial Faria – CRM 21.003

UPA Leste

Cristiano Túlio Maciel Albuquerque – CRM 38.231

Núcleo de Cirurgia Ambulatorial

Raidan de Carvalho Canuto – CRM 27.606
Claudia Cristina dos Santos – CRM 34.670
Gustavo Coelho dos Anjos-  CRM 33.778
Marta Eugênia Alcici – CRM 27.670

Centro de Saúde Barreiro de Cima

Bruno Abreu Gomes – CRM 47.700

Centro de Saúde Jardim Montanhês

Artur Oliveira Mendes – CRM 40.470

Centro de Saúde Bom Jesus

Kelson Gonçalves Cajazeiro – CRM 46.621

Centro de Saúde Jardim Alvorada

Brunno de Araújo Ney – CRM 40.482

Centro de Saúde Granja de Freitas

Ricardo do Nascimento Rodrigues – CRM 38.590

Atribuições dos delegados sindicais: representar o sindicato no local de trabalho, na cidade ou região; levantar os problemas e reivindicações dos associados e trabalhar na sua solução, em cooperação com a diretoria do Sinmed-MG; ampliar o número de sindicalizados na localidade; distribuir os órgãos de informação do sindicato e divulgar suas atividades; e encaminhar ao conselho diretor propostas que visem o atendimento de reivindicações específicas, bem como a evolução da consciência sindical na categoria.

Fonte: Assessoria de Comunicação Sinmed-MG – 26/03/2009