SES e Seplag anunciam que não há previsão de reajuste salarial para os médicos do HJXXIII

06/04/2009

 

Representantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) e Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) reuniram-se, no dia 2 de abril, com o diretor do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG), Paulo Marra, e médicos do corpo clínico do HPS João XXIII, para comunicar que não há previsão de reajuste salarial para a categoria.   Segundo o sub-secretário de gestão da Seplag, Frederico Melo, nos últimos dois meses o Estado registrou queda na arrecadação, o que comprometeu o limite da lei de Responsabilidade Fiscal. “Nesse momento, é impossível conceder qualquer tipo de reajuste para os médicos e os demais servidores”, afirma.   Jomara Alves, sub-secretária de Saúde do Estado, disse que, em breve, será realizado o reenquadramento dos médicos no plano de carreira, conforme seu tempo de serviço, de acordo com decisão política do governo. Entretanto, ela deixou claro que não é viável criar o cargo de médico emergencista do HJXXIII, proposta discutida na tentativa de conceder aumento diferenciado à categoria que trabalha no serviço de urgência e emergência.   Durante a reunião, os representantes do corpo clínico do João XXIII argumentaram que a falta de profissionais no hospital está acarretando problemas no atendimento aos pacientes já que várias equipes estão incompletas, o que gera sobrecarga de trabalho aos outros médicos.   O presidente da Fhemig, Luís Márcio Araújo Ramos, destacou que será realizado, ainda neste ano, um concurso público para preenchimento das vagas que não foram assumidas em 2007. Segundo informação passada pela Fundação ao Sinmed-MG em outubro de 2008, apenas 60% dos médicos aprovados tomaram posse e, desse total, 5% pediram exoneração poucos dias depois de assumir os cargos.   Seplag, Fhemig e SES firmaram o compromisso de criar um cronograma de reuniões com o Sindicato dos Médicos e representantes do corpo clínico para a elaboração de um pré-projeto de reajuste dos vencimentos básicos e abonos. Em troca, as entidades governamentais pediram o fim das pressões de ordem interna.   A SES vai encaminhar ao Sinmed-MG ofício para formalização do compromisso. As propostas apresentadas na reunião com os gestores serão levadas para avaliação dos médicos, em assembléia marcada para o dia 7 de abril, terça-feira, às 19 horas, no HPS João XXIII.  
Fonte: Assessoria de Comunicação Sinmed-MG – 6/04/2009