Sem perspectiva de reajuste salarial, médicos do Ipsemg fazem paralisação de 24 horas no dia 15

15/04/2009

Mônica Salomão

 

Diante da negativa do governo em conceder qualquer reajuste salarial neste momento, sob os argumentos de que o país está em crise e o Estado no Limite da Lei de Responsabilidade Fiscal, médicos do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado (Ipsemg) decidiram, em assembléia no dia 7 de abril, realizar paralisação de advertência de 24 horas no dia 15, quarta-feira, e atender somente os casos de urgência e emergência.   Vestidos de branco, os profissionais devem se concentrar às 7 horas em frente ao Serviço Médico de Urgência (SMU) para distribuir panfletos aos usuários do instituto e explicar as razões do protesto. No mesmo dia, às 19 horas, os médicos voltam a se reunir em assembléia para avaliar o movimento e deliberar as próximas ações.   “A campanha do Ipsemg teve início em março de 2007, muito antes da crise financeira mundial e não podemos admitir que o médico que dedicou a vida toda à instituição aposente com o salário irrisório de R$ 1.000. Além disso, com essa remuneração dificilmente teremos candidatos dispostos a ingressar no serviço público”, avalia Maria Madalena dos Santos, diretora de defesa profissional do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed-MG).    
Negociações não avançaram

  As negociações referentes às demais reivindicações da categoria também não avançaram. Desde 19 de março, quando a diretoria do Sinmed-MG, juntamente com médicos da comissão de mobilização, participou de reunião com representantes da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e do Ipsemg nenhuma resposta foi apresentada acerca dos pleitos de: adiamento das obras no HGIP; manutenção das atividades realizadas com pró-labore; reajuste do valor da consulta por pró-labore para R$ 30; concurso público; criação da comissão (Conselho Consultivo) para avaliar e acompanhar as mudanças que deverão ocorrer no instituto; e reposicionamento na carreira.   O diretor clínico do HGIP, Luciano Dantés, informou que depois da agenda na Seplag participou de reuniões com a Direção Superior, Diretoria de Saúde e com o Conselho Beneficiário para dar continuidade às negociações, mas nada de concreto foi apresentado. “A Seplag se comprometeu a encaminhar um parecer do decreto 44.980/2008 propondo a alteração da redação, mas, até o momento, nenhum documento foi repassado nem ao sindicato nem à Diretoria Clínica. O CREA esteve no hospital, mas não fomos ouvidos e nem sabemos quando o parecer solicitado será disponibilizado”, conta.     
Paralisação de Advertência de 24 horas
  Das 7 horas do dia 15, quarta-feira, às 7 horas do dia 16, quinta-feira, somente os casos de urgência e emergência devem ser atendidos.     15/04 - quarta-feira   7 horas: Concentração em frente ao Serviço Médico de Urgência (SMU) – Alameda Álvaro Celso, 333 - Centro. Todos os profissionais devem comparecer vestidos de branco para participar da distribuição de panfletos aos usuários do Ipsemg.   19 horas: Assembléia Geral Extraordinária para avaliação do movimento e deliberação das próximas ações.     Fonte: Assessoria de Comunicação do Sinmed-MG- 08/04/2009