Mais um caso de agressão a médico, dessa vez na UPA Venda Nova, preocupa o Sinmed-MG e amplia as estatísticas de violência

07/11/2018

O registro de casos de violência e agressões a médicos e outros trabalhadores das unidades de saúde da Prefeitura de Belo Horizonte tornou-se uma rotina preocupante. O último aconteceu na madrugada desta quarta-feira, 7 de novembro, na UPA Venda Nova após um médico plantonista ser agredido com socos por um acompanhante de paciente que questionou o atendimento e diagnóstico do profissional.

O Sinmed-MG destaca que a ameaça à integridade física e psicológica dos médicos tem sido preocupante e grave. Como entidade representativa desses profissionais, o Sindicato dos Médicos não é omisso e continua a denunciar os casos de violência que afetam o atendimento à  população  e causa temor a todos que trabalham nesses locais.

Incansavelmente, abordamos os casos de agressões, assaltos e violência nas unidades de saúde da PBH, seja por meio de notas, documentos, em reuniões  e comunicados à imprensa mas a gestão parece não se preocupar efetivamente com o aumento das estatísticas.

São mais de 350 ocorrências registradas este ano. Esse registro consta no “fluxo de abordagem dos episódios de violência nos serviços da SMSA de BH”; documento elaborado pela Mesa de Negociações do SUS (MESUS) de Belo Horizonte, com o objetivo de garantir orientações de condutas diante dos episódios de violência e registrar os casos ocorridos

A prefeitura divulga que está tomando medidas para qualificar a segurança nas unidades de saúde, mas entre as ações efetivas que faz parte das reivindicações da categoria médica e apresentadas em reuniões com a gestão  estão a necessidade urgente de implantação de câmeras de vigilância, a presença física permanente de agentes de segurança nas UPAs e porteiros em todas as unidades de saúde.

 Apesar das diversas mobilizações e denúncias, o sindicato lamenta que a Prefeitura não tenha ainda resolvido este problema e teme que, sem segurança adequada, o pior possa acontecer com os trabalhadores da saúde e a população.

 

Sinmed-MG, 7 de novembro de 2018.

 

Rosângela Fernandes Costa - jornalista sênior - MTB 11320/MG