PERITOS DA SEPLAG DESTACAM ATUAÇÃO DO SINDICATO E CRMMG NAS CONQUISTAS OBTIDAS E CONTINUAM COESOS E PRONTOS PARA A “LUTA”

01/11/2018

Os médicos peritos da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) reuniram-se, dia 23, no Sinmed-MG, em assembleia geral extraordinária para discutir os pontos pendentes da pauta: Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) e mudança na nomenclatura da superintendência com a inclusão do termo Perícia Médica.

Na oportunidade, os peritos fizeram uma avaliação do movimento. Destacaram a união da categoria, que levou adiante uma greve de 68 dias (21/dez/2017 e 27/fev/2018) e três paralisações de um dia (30 de agosto e 5 e 17 setembro/2018), que culminaram com a assinatura de um acordo com o governo.

Segundo eles, o movimento foi importante para que a categoria fosse reconhecida e para abrir portas a futuras negociações ainda nesse governo e com o próximo governante do Estado, após a definição do segundo turno.

Todos foram unânimes em reconhecer a importância do Sindicato nas conquistas obtidas. O conselheiro João Batista Soares, presente à mesa, abordou pontos positivos da campanha: “Os peritos já têm um consenso claro do que querem. Vocês trabalharam bem, demonstraram ao governo a importância do serviço pericial. Tentaram barrar o grupo por várias vezes, mas o movimento andou”. E terminou, elogiando a fundamental atuação do Sinmed-MG e destacando o acompanhamento do jurídico.

“Podemos não ter conseguido o aumento, mas conquistamos o respeito. Eles sabem agora que no Estado tem uma categoria específica de médicos peritos que é unida, dura e coesa para lutar por seus direitos”, disse um dos presentes.

Entre as conquistas, destacaram a eleição de uma diretoria clínica, a questão da segurança, com a implantação dos detectores de metais e a entrega por meio eletrônico das perícias.

Antes de finalizar a assembleia, um perito fez uma avaliação do movimento: “Acho que em relação aos governos futuros é uma incógnita sobre o que vai acontecer. Mas podemos fazer uma análise do que foi até agora. Se não tivemos avanços na parte de carreira, tivemos em outras áreas. Então, saímos de uma estaca zero para uma situação de realmente se fazer presente. Acho que o movimento foi muito bom, e ainda está sendo . O pessoal está coeso, muito antenado com tudo e eu vejo isso com muito boas perspectivas”.

Ao final, todos parabenizaram o sindicato pelo apoio integral em todos os momentos e as orientações importantes para a condução do movimento, além do papel do CRMMG, que fez cinco vistorias no período.

 

 

Regina Perillo