PBH: negociações não avançam e nova assembleia foi marcada para o dia 15 de maio

13/04/2018



Dando continuidade à campanha de 2018, médicos da Prefeitura se reuniram em assembleia geral extraordinária, dia 11 de abril, no Sinmed-MG.

Durante a assembleia os diretores relataram a última reunião realizada com o secretário de saúde, Jackson Machado, no dia anterior juntamente com uma comissão de médicos da rede, sem evolução na discussão das adequações do ponto eletrônico, com risco de retroceder no que já foi acordado com os médicos da rede secundária. Alem do ponto eletrônico, a questão da remuneração, plano de carreira, principalmente segurança continuam na pauta.

Durante a assembleia, o sindicato comunicou sobre dois pontos que evoluíram: a avaliação de desempenho, cuja nota agora não será mais considerada para fins de progressão na carreira e a garantia do pagamento das progressões, após 1.095 dias trabalhados. Mesmo que a publicação oficial atrase, como já acontece, o valor será retroativo. Essa é uma reivindicação antiga do sindicato, agora contemplada.

Os médicos fizeram várias críticas à política de saúde do Prefeito Kalil. Lembraram a importância de valorizar a qualidade do trabalho, a resolutividade dos profissionais que já estão na rede, sob o risco da população ficar desassistida.

Pauta

1 - Reajuste do salário base tendo como referência o salário pago no Programa Mais Médicos do Governo Federal.

2 - Reajuste dos adicionais com base na inflação acumulada do período.

3 - Equiparação do salário dos médicos contratados administrativamente com o vencimento dos médicos concursados no nível 1 da tabela.

4 - Ajustes dos pontos pendentes no novo Plano de Carreira - Lei 10984/2016.

5 - Redimensionamento das áreas adscritas às Equipes Saúde da Família ao máximo populacional de 2000 pessoas, tudo em conformidade com a Portaria 2355 do Ministério da Saúde editado em 2010.

6 - Retomada das discussões sobre a reclassificação de risco das unidades.

7 - Início de discussões setoriais, abordando os pontos específicos de cada área da saúde na PBH.

8 - Reorganização da educação continuada para os profissionais médicos da PBH e reconhecimento das atividades dos preceptores na rede com carga horária protegida.

9 - Concurso público como forma de entrada do médico na PBH.

10 - Garantia do fornecimento adequado de insumos, medicamentos e equipamentos de qualidade para o atendimento à população.

11 - Garantia de segurança adequada aos profissionais e à população nas unidades de saúde, com presença de porteiros em todas as unidades.

 

Nova assembleia da PBH está marcada para o dia 15 de maio.

 

 

Regina Perillo - Jornalista