MÉDICOS DA PBH DELIBERAM SOBRE A PAUTA DE REIVINDICAÇÕES/ 2018

02/03/2018

Reunidos em assembleia geral extraordinária dia 27 de fevereiro, no Sindicato dos Médicos de Minas Gerais, médicos da PBH deliberaram sobre a pauta de reivindicações 2018. A maioria dos pontos já constava das pautas de anos anteriores.

Durante a AGE, o diretor André Christiano relatou as reuniões realizadas este ano com a Prefeitura. Entre elas, citou a que aconteceu, no início fevereiro, na Secretaria de Planejamento, com a participação também de outras entidades representantes dos servidores do município. Disse que, na ocasião, os gestores mencionaram um calendário de negociações que levará em consideração o comportamento da receita da prefeitura.

Sobre o reajuste salarial dos concursados e contratados e os ajustes dos pontos pendentes do plano de carreiras da categoria, a gestão municipal informou que só poderá dar uma resposta definitiva no dia 3 de agosto.

 Outro ponto citado pelo diretor foi o projeto de lei que deve ser votado no início de março, na Câmara, sobre questões relativas à previdência municipal. O diretor explicou sobre a divisão do instituto de previdência dos servidores em dois: FUFIM – herdeiro da Beprem - voltado para servidores que entraram antes de 2011; e o BHPrev, para os que ingressaram após dessa data.

Durante a assembleia foi definida a comissão que participará de reunião com o secretário municipal de Saúde de Belo Horizonte, Jackson Machado Pinto, em data ainda não definida, para discutir as divergências em relação ao ponto eletrônico.

 

Uma nova AGE foi marcada para o dia 15 de março para acompanhamento do movimento.

 

Veja pauta da campanha reivindicatória 2018:

1 - Reajuste do salário base tendo como referência o salário pago no Programa Mais Médicos do governo federal.

2 - Reajuste dos adicionais com base na inflação acumulada do período.

3 - Equiparação do salário dos médicos contratados administrativamente com o vencimento dos médicos concursados no nível 1 da tabela.

4 - Ajustes dos pontos pendentes no novo Plano de Carreira - Lei 10984/2016.

5 - Redimensionamento das áreas adscritas as Equipes Saúde da Família ao máximo populacional de 2000 pessoas, tudo em conformidade com a Portaria 2355 do MS editado em 2010.

6 - Retomada das discussões sobre a reclassificação de risco das unidades.

7 - Início de discussões setoriais, abordando os pontos específicos de cada área da saúde na PBH.

8 - Reorganização da educação continuada para os profissionais médicos da PBH e reconhecimento das atividades dos preceptores na rede com carga horária protegida.

9 - Concurso público como forma de entrada do médico na PBH.

10 - Garantia do fornecimento adequado de insumos, medicamentos e equipamentos de qualidade para o atendimento à população.

11 - Garantia de segurança adequada aos profissionais e a população nas unidades de saúde, com presença de porteiros em todas as unidades.

 

Regina Perillo - jornalista